A vida é como um fio... de cabelo - Isabelle Santana

09:26:00


Eu estava pensando aqui. Sim. Pensando, de novo! Me desculpa aí para quem não pensa. Mas, eu penso, sim! E muito. Às vezes tenho até dificuldade de agir, talvez por pensar demais, talvez por eu ser assim mesmo. Não sei explicar. Ou melhor, sei. Ou acho que sei. Talvez eu esteja errada, mas tenho minhas próprias teorias sobre as coisas, meu jeito de olhar.
Na minha opinião,  a vida é como um fio de cabelo. O fio de cabelo nasce, ainda pequeno, cresce, é fraco, sem definição, é aberto a influências, mudanças, e ainda não sabe o que irá se tornar. Logo depois, vem o primeiro corte. Cortamos para o cabelo crescer melhor, ficar mais forte, e formar seu próprio estilo. Depois, vem as pontas duplas, a cor muda, desbota, o fio resseca. Hidratamos. Cuidamos, na esperança de melhorar, mas quando vemos que não dá para reconstruir um fio que precisa ,é de ser totalmente renovado.
Cortamos, para ele crescer melhor, mais forte, e cortar partes estragadas dele.
A vida é assim! Nascemos, inocentes, sem saber nosso rumo, somos educados pelos nossos pais, influenciados por nossos amigos, nossas professoras, família.
Tudo ao nosso redor, constrói parte do que somos por dentro, mesmo que indiretamente.
Começamos a tomar rumo, pensamos que sabemos das coisas, quebramos a cara, experimentamos novas experiencias, sensações, sentimentos, que ficam um tempo com nós, para aprendermos a lidar com tudo isso.
Depois que aceitamos esses sentimentos de todo tipo, nos libertamos deles. Não digo que você vai esquecer. Não vai! Não mesmo. Isso vai fazer parte de você. Te fará mais forte.
Aceitar que você se sente triste por algo, ou algo de deixa triste, com medo, com insegurança, é se libertar do sofrimento que isso te traz. É como cortar o cabelo que já está ressecado demais. Depois, ele cresce melhor, certo? Vai ser assim com você também. Você vai seguir em frente, melhor do que você pode imaginar, vai criar uma base inquebrável, mas antes disso, você terá que ser quebrada. Porque para criar o antídoto para algo, precisamos conhecer o veneno que queremos curar com esse antídoto. Então, sim. Iremos ter buracos, feridas, cicatrizes de experiências boas, ruins, alegrias, teremos antídotos no estoque, mas ainda iremos precisar de outros.
Vamos lidar com venenos que nunca iremos conhecer e nem saberemos como curar. Vamos continuar seguindo em frente, e tentaremos achar respostas.
Algumas vamos achar, outras, não tenho tanta certeza.
Essa é a minha teoria.

You Might Also Like

0 pessoas lindas opinaram neste post

Curta a página do Blog

Meus vídeos no YouTube